Parada LGBT 2024 acontece domingo

Evento, que atrai turistas de toda a região, será ao lado do WD e pela oitava vez não terá a presença do chefe do Executivo

Programada para domingo, a 11ª edição da Parada LGBT de Maringá, um dos eventos que mais atraem turistas à cidade, não terá novamente a presença do prefeito Ulisses Maia (PSD). Neste último ano de mandato havia quem aguardasse sua presença, já que nos sete anos anteriores ele não compareceu, embora tivesse recebido convites da Associação Maringaense LGBT

Em outras cidades, prefeitos costumam prestigiar o evento, como os de Belo Horizonte (MG), o prefeito Fuad Noman, de Estância (SE), Gilson Andrade de Oliveira, de Natal (RN), Álvaro Costa Dias, de Ouro Preto (MG), Angelo Osvaldo; Bruno Covas (falecido em 2021), ex-prefeito de São Paulo, maior cidade da América Latina, também marcou presença no evento. Em outras cidades chefes de Executivo tentaram impedir a realização da parada, sendo investigados pelo Ministério Público.

O prefeito disse que a prefeitura apoia o evento, fornecendo banheiros químicos, entre outros, mas não justificaria sua ausência. Maringá possui uma Secretaria de Inovação Econômica e Turismo, que era ocupada pelo vice-prefeito Edson Scabora (PSD), pré-candidato da administração. De acordo com servidor público, esta foi a gestão que mais abriu espaço para a participação de LGBTs da história da cidade. A Parada LGBT sempre foi considerada uma festa tranquila, com a presença de muitas famílias.

Neste ano, o tema da parada maringaenses será “LGBT pelo Rio Grande do Sul”, começará às 12h, ao lado do Estádio Regional Willie Davids, e receberá doações para as vítimas da catástrofe que atingiu aquele estado. Um caminhão ficará ao lado do trio elétrico, para fim receber as doações, que serão entregues ao Corpo de Bombeiros, após as 18h, quando o evento termina.

Nesta sexta-feira comemora-se o Dia Internacional Contra a Homofobia, a Transfobia e a Bifobia, que visa a conscientização sobre as violações dos direitos LGBT e estimulem o interesse pelo trabalho pelos direitos LGBT em todo o mundo.

Foto: Freepik