Varas criminais instalam central para digitalização dos processos físicos

Judiciario
Criada por iniciativa dos escrivães das cinco Varas Criminais do Foro Central da Comarca de Maringá, com apoio dos magistrados e promotores de justiça, a Central de Digitalização das Varas Criminais funciona em parceria com a Pontifícia Universidade Católica do Paraná, campus Maringá, em espaço cedido pelo magistrado José Cândido Sobrinho, responsável pela direção do Fórum. A central é composta por dez mesas de digitalização, cada uma delas com um computador e scanner, ligados em rede, e cujos equipamentos utilizados são oriundos das varas criminais e do setor de informática de responsabilidade do servidor Sandro Schon. Em cada uma das mesas atuam dois acadêmicos que, sob a coordenação de cinco servidores das varas, procedem à separação das peças dos autos físicos e as digitalizam de forma indexada, conforme tabela e roteiros previamente estabelecidos pela Corregedoria-Geral da Justiça. A central funciona das 8h às 12h e das 13h às 17h, com vinte acadêmicos em cada turno. Leia mais.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.