Prefeitura escondeu: aumento na tarifa foi de R$ 0,31

A reunião entre vereadores e representantes da Prefeitura de Maringá, realizada ontem na câmara municipal, trouxe mais uma descoberta sobre o alto preço da tarifa do transporte coletivo em Maringá. Segundo o vereador Humberto Henrique (PT), o usuário pagou três vezes mais pelo custo real da integração. A diferença aponta que o aumento foi R$ 0,11 maior do que o valor divulgado pelo prefeito no último domingo. Humberto explica que os representantes da Administração deixaram escapar durante a reunião que o custo real da meia integração foi de R$ 0,04, enquanto a isenção de impostos (ISS e ICSM) concedida para viabilizar o benefício representou R$ 0,15 na tarifa. Com os R$ 0,20 oficiais, mais o sobrepreço de R$ 0,11 na integração, para o vereador o aumento concedido pelo prefeito foi de R$ 0,31 (leia mais). Também no site do petista há informação sobre a possibilidade de pedido de Comissão Processante contra o prefeito Carlos Roberto Pupin (PP) por descumprimento do relatório da CPI do Transporte Coletivo e omitir informações sobre o custo da integração (leia mais).

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.