Só com o corte de assessor

…I, II, II e IV, cargos reconhecida e comprovadamente irregulares, a administração Pupin/Barros economizaria cerca de R$ 9 milhões anuais. Esses cargos são uma aberração administrativa, nas barbas da Câmara, do MP, da sociedade e apesar das inúmeras denúncias nada é feito para acabar.
Na gestão passada o Dr. Cruz ajuizou uma ação e logrou decisão favorável, mas surpreendentemente tal decisão foi revertida no TJ- PR.


Para ser ter uma ideia do absurdo que são esses cargos, todos têm as mesmas atribuições mas as remunerações variam de R$ 7.140,83 para Asssessor I, R$ 4.509,89 Assessor II, R$ 3.163,43, Assessor III e R$ 1.970,82 para Assessor IV. O critério da escolha é político. Um ex-vereador é nomeado Assessor I, como foi o caso de Adilson do Bar e Zebrão, já alguém mais jovem, cabo eleitoral é nomeado assessor IV, por exemplo. Em alguns casos há troca de cargos, para aumentar ou diminuir a remuneração.
Akino Maringá, colaborador

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.