Um atraso de dois anos

Guarda Municipal

Maringá poderia ter a Patrulha Maria da Penha há cerca de dois anos, antes mesmo de Londrina, onde a Secretaria de Políticas para as Mulheres implantou-a em julho do ano passado.
Maringá ainda não tem a patrulha, que tem como finalidade garantir o cumprimento das medidas protetivas às mulheres vítimas de violência doméstica.

Em 2014, soube o blog, a Semulher levou para o prefeito Carlos Roberto Pupin (PP) o projeto da Patrulha Maria da Penha, mas segundo a administração a violência contra a mulher tinha diminuído em Maringá. Hoje, o mesmo PP que negou a implantação do projeto o coloca como promessa de campanha na propaganda eleitoral…

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.