Empaca a ‘árvore’ dos Barros em parceria com a Viapar

arvore

A relação dos Barros com a Viapar não é nova, mas a última parceria – a colocação, em junho passado, de uma “árvore solar”, como aquela prometida na campanha derrotada de Silvio Barros II em 2016 – empacou: a pedagiadora, que serve como vitrine, não consegue “vender” o novo produto da família aos municípios da região de Maringá.

Copiada de uma ideia francesa, assim como a ATI foi clonada da China, a “árvore solar” tem 6 metros de altura e dez placas solares para a captação de energia e serve para carregar telefones celulares, além de wi-fi – isso, aquela coisa com que Silvio Barros II prometeu dotar toda a Maringá lá em 2008 e não cumpriu.
Desde junho, tendo a Viapar como propagandista da ideia “inspirada” na França, o ex-prefeito tenta vender a tal árvore – mas, até agora, longe do sucesso traçado junto com a pedagiadora.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.

4 pitacos em “Empaca a ‘árvore’ dos Barros em parceria com a Viapar

  1. Horrível.
    Árvores são importantes, e não são substituíveis.
    Energia solar, é outra coisa.
    Já estão colocando no teto das residenicas, até padrão popular.

    • João Carlos diz:

      Uma pena! O uso da energia solar cresce no mundo todo. Aqui preferimos queimar carvão. Fazer o que?

Deixe seu pitaco