Dois anos depois do crime

MG1

Hoje minha mulher fez esta postagem nas redes sociais dela. Referia-se aos dois anos em que, 50 dias depois de agredido por familiares de um hoje deputado estadual, onde tive meu celular roubado, meu blog e redes sociais foram invadidos por algum destemperado da vida.

MG1

Não vou tecer comentários nem explicar como andam as coisas, por conta de um ou outro juiz e de um ou outro promotor, e por isso prefiro deixar a fala dela para marcar a data. Na única vez em que tentei fazer isso, explicar em meu blog o que havia ocorrido, um juiz, sem ler o que escrevi, mandou retirar a postagem em que eu explicava as agressões, o roubo do meu instrumento de trabalho e a divulgação de conteúdo digital de meu iPhone invadido. Mas, dois anos depois, ainda acredito, que a verdade sempre vencerá.
PS – Só para ficar claro para quem ouviu falar da história, que foi tema de reportagem ao vivo da RPC (à época em que não era um resumo de boletim policial) e de reportagens em sites e jornais de circulação nacional: quando cheguei no Rio de Janeiro, naquele dia, era feriado. Somente no dia seguinte pude ter a certeza de que meu iCloud havia sido invadido. Tenteiu fazer outra conta de e-mail e todas as tentativas deram que eles já existiam, inclusive o que leva o nome de minha mulher. Não consegui registrar, já por estar registrado pelos criminosos invadores, o e-mail com o nome completo de minha esposa…

MG1

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.