Ele não perde uma para aparecer

Secretário de Ratinho Junior, Ricardo Barros não perdeu eventos da Itaipu Binacional; fosse ele repassando dinheiro, jamais permitiria petistas ao seu lado. Depois de elogiar o governo Lula, ele apronta as malas para o ato de Bolsonaro em São Paulo no dia 25?

O deputado federal licenciado Ricardo Barros, há anos tesoureiro nacional do PP, esteve esta semana presente em ao menos dois eventos promovidos pela Itaipu Binacional, presidida pelo também maringaense Enio Verri (PT). Uma foi no lançamento do programa de capacitação e, ontem à tarde, na Uningá, no repasse de R$ 100 milhões a 28 dos 30 municípios que integram a Amusep, também recursos de Itaipu.

Como lembrou um companheiro, Barros, que se reelegeu em 2022 por ter abraçado o bolsonarismo, com o qual não queria conversa até se tornar líder de Jair Bolsonaro na Câmara Federal, ajudou ao longo dos anos a fomentar os discursos contra o PT, alvo da tal cultura de ódio, hoje, quem diria, não perde evento promovido por petistas.

Ele não apareceu na festa dos 44 anos do PT, mesmo depois de elogiar o governo federal, mas ninguém o imaginaria tolerando no mesmo palanque autoridades petistas se fosse o governo bolsonarista entregando pá-carregadeira ou repassando recursos a municípios. O hoje secretário estadual, que quer distância do foro de Brasília, no entanto, estaria se preparando para ir ao ato de seu ex-chefe a favor do Estado de Direito, como se o país não estivesse caminhando sobre uma sólida democracia. Ele não consta das listas que correm por aí com os nomes de apoiadores bolsonartistas que confirmaram presença no dia 25 na avenida Paulista, mas dizem que convite é o de menos e que a mala já está pronta pra seguir viagem.

Arte s/ criação de IA

Advertisement
Advertisement