Conversa com Barros

O secretário de Ratinho Junior, também chamado por colegas de política de “leitão vesgo”, briga para ter o PL de Bolsonaro mas ao mesmo encontra-se com Lula

De Leandro Mazzini, na coluna Esplanada, um repeteco da nota que deu na revista IstoÉ:

Há uma semana, fora da agenda, o presidente Lula da Silva chamou para café no Palácio da Alvorada o deputado federal Ricardo Barros (Progressistas-PR), ex-ministro da Saúde no Governo de Michel Temer. Lula queria saber sua opinião sobre política, economia, eleições municipais e a sucessão na Câmara, entre outros temas. Barros é pré-candidato ao Senado na vaga de Sergio Moro, se o senador for cassado.

PS – As duas notas dão a entender que ele é deputado em exercício e que não é secretário de Indústria, Comércio e Serviços. O parlamentar bolsonarista estaria, segundo Fernando Tupan, para o PT ser vice do PP, algo muito estranho. Outros dizem que ele negociava o apoio à sua pré-candidatura ao Senado, e pedia pela desistência de Gleisi Hoffmann. Mas mais estranho que a análise é o silêncio do Partido dos Trabalhadores, que recentemente lançou pré-candidatura própria à Prefeitura de Maringá.

Advertisement
Advertisement