Em benefício próprio, o Ministério Público agiu rápido

MG1

De Zé Beto:
O Ministério Público do Paraná não dormiu de touca. Um dia depois de o Tribunal de Justiça regulamentar o auxilio-moradia, Gilberto Giacoia, procurador-geral de Justiça, assinou a resolução estendendo o benefício aos 702 procuradores e promotores que receberão, retroativamente a março, quando os deputados estaduais aprovaram e o governador Beto Richa sancionou a coisa, entre R$ 3,2 mil e R$ 4,4 mil sem descontos. O texto da resolução do MP, oficializada na quinta-feira da semana passada, segundo revela a edição de hoje do jornal Gazeta do Povo, é idêntico ao do Tribunal de Justiça. O custo aos cofres públicos é um pouco menor, chegando aos R$ 27,3 milhões anos. Juntando com com 32,4 milhões que juízes e desembargadores receberão por existirem e morarem sob um teto, a ninguenzada vai colaborar com cerca de R$ 60 milhões por ano para que a turma da capa preta e os que zelam contra as injustiças recebam algumas moedas a mais todo final de mês. É o horror!

MG1

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.