Sem disposição para a greve

A greve convocada pela APP-Sindicato para a terça-feira não parece estar surtindo efeito entre os professores, principalmente para aqueles que não são ligados a partidos políticos.

Desta vez os professores não querem se manifestar, e os motivos são muitos – além do fato de que o próprio governo ainda não formalizou sua proposta, o que deve acontecer nos próximos dias, dentro do prazo acordado. Nos últimos anos, consideram algumas lideranças, os professores sempre se posicionaram e muitas vezes ficaram com os prejuízos impostos pelos governos de Beto Richa e Cida Borghetti, que aplicaram descontos financeiros no contracheque e faltas na ficha funcional, que afetam a vida profissional, impedindo a progressão na carreira do servidor.
Um reflexo claro do esvaziamento foi o chamamento do sindicato para a greve geral do último dia 14; nesse dia várias escolas estaduais tiveram aula normalmente.
Às vésperas da greve marcada ,o sindicato está com uma forte campanha nas redes sociais, especialmente com grupos de aplicativos de mensagens forçando para que os professores tomem parte na greve, que seria por tempo indeterminado. Até agora, porém, a adesão não é a esperada.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Pioneiro em blog político, foi repórter e apresentador de programas de rádio e televisão, além de ter editado jornais e revistas. É comentarista da Jovem Pan Maringá.